ESTILOS

Clique para baixar o horário das Aulas
 

Wing Chun

Segundo registros,

a fundadora do Sistema Wing Chun foi a senhorita Yim Wing Chun. que aprendeu as primeiras técnicas com Ng Mui, sobrevivente do massacre do templo de Shaolin. Depois de casar-se com Leung Bok Toa, Yim Wing Chun ensinou a ele suas técnicas de defesa. Leung Bok Toa desenvolveu o sistema e, em homenagem à sua esposa, chamou o estilo de Wing Chun Kuen (Punhos de Wing Chun).

Leung Bok Toa passou o estilo para Leung Lan Kwai, que ensinou Wang Wah Bo.  Wong Wah Bo trabalhava na ópera chinesa e era comum que companhias de teatro viajassem de uma cidade para a outra por meio de embarcações. A bordo do Junco Vermelho Wong conheceu e trabalhou com Leung Yee Tai, que era bastoneiro na embarcação. Ao notar que Leung Yee Tai tinha habilidades especiais com o bastão, adquiridas por ter sido aluno do monge Jee Shin, Wong Wah Bo começou a trocar seus conhecimentos de Wing Chun com ele, o que contribuiu para a entrada das técnicas de bastão longo no sistema, que até então só tinha como armas as espadas gêmeas (facas borboletas).

Leung Yee Tai transmitiu a arte de Wing Chun para Leung Jan, um famoso médico da província Fosan, que gostava muito de assistir a ópera chinesa, motivo ao qual, passou a se conhecerem. Leung Jan transmitiu seus conhecimentos para poucos, entre eles seus filhos, Leung Bik e Leung Tsun, e Chan Wah Shun, um rapaz que trabalhava no cambio de troca de dinheiro, sendo este conhecido como “Wah o trocador de dinheiro”. Já idoso, Chan Wah Shun foi convidado para lecionar Wing Chun na propriedade da família Yip, uma das mais nobres da cidade de Fosan, e transmitiu seus conhecimentos ao jovem Yip Man.

Yip Man treinou com o Mestre Wah até o seu falecimento e mais tarde aprimorou suas técnicas com Leung Bik. Yip Man concluiu os estudos do Wing Chun aos 24 anos, mas começou a ensinar já em idade avançada, tendo como um de seus alunos Lee Jun Fan, conhecido como Bruce Lee. Esse jovem artistas marcial e ator migrou de Hong Kong para os Estados Unidos e na década de 1970 seus filmes tornaram o Wing Chun famoso e muito procurado.

Yip Man teve outros alunos, entre eles Ho Kam Ming, que integrou uma de suas primeiras turmas. Ho Kam Ming tinha uma academia em Macau e filiais em Hong Kong. Um dos alunos de Ho Kam Ming foi Chen Chin Hung, que estudou na mesma classe de Li Wing Kay no colegial. Chen Chin Hung e Li Wing Kay  treinaram artes marciais juntos e graças à grande amizade trocaram técnicas. Foi assim que Li Wing Kay aprendeu Wing Chun.

Fonte de pesquisa Instituto Li Wing Kay de arte e cultura.

 

Árvore Genealógica do Estilo Wing Chun

Fundadora: Ng Mui

1ª geração: Yim Wing Chun e Leung Bok Toa

2ª geração: Leung Lan Kwai

3ª geração: Wang Wah Bo e Leung Yee Tai

4ª geração: Leung Jan

5ª geração: Leung Bik, Leung Tsun e Chan Wah Shun

6ª geração: Yip Man

7ª geração: Ho Kam Ming, entre outros mestres

8ª geração: Chen Chin Hung, Grão Mestre Li Wing Kay (América do Sul/Brasil),

entre outros mestres
 

 

 

 

 

No estado do Rio de Janeiro o Grão Mestre Li Wing Kay tem como seu representante oficial o Mestre Serpio Silva no Estilo Wing Chun na formação de instrutores e professores nesta modalidade.

Da esq para Dir: Grão Mestre Li Wing Kay e Mestre Serpio Silva

Garra de Aguia

 

De acordo com lendas chinesas,

o Kung Fu estilo Garra de Águia começa com um menino órfão de pai, criado pela mãe viúva. Seu nome era Yue Fei.

Quando pequeno, Yue Fei tinha um professor e padrinho chamado Chow, que fora aluno dos monges de Shaolin e além de várias ciências (matemática, literatura e etc), aprendeu diversas técnicas de Kung-Fu, dentre elas os movimentos da águia. Por este motivo podemos afirmar que indiretamente o estilo Garra de Águia veio do templo Shaolin. Entretanto pode-se dizer que o fundador do estilo Garra de Águia foi Yue Fei, já que foi ele que o aperfeiçoou.

Já adulto, no ano de 1.123 d.C., Yue Fei tornou-se um general do exército chinês e treinava seus oficiais com a técnica do estilo Garra de Águia, ordenando aos seus subordinados repassar seus ensinamentos aos demais soldados. Yue Fei era um excelente guerreiro, muito inteligente, disciplinado e justo, vencendo todas as batalhas que participou.

Contudo, um conselheiro da corte, chamado Tchan Kui, não suportava a fama do General, e resolveu prejudicá-lo, inventando calúnias sobre ele para o rei Sung, um jovem soberano, porém inseguro.

 

Sem averiguar a veracidade dos fatos, o rei Sung mandou chamar Yue Fei nos campos de batalha para confrontá-lo. Como estava em plena guerra, o general precisou ser chamado por doze vezes antes de atender ao pedido do rei. Quando Yue Fei chegou ao palácio com seu filho, Yue Wan, e seus soldados, ele foi aprisionado, sem mesmo saber porque.

 

Diante da presença do rei Sung, Yue Fei ficou sabendo do ocorrido com Tchan Kui, mas afirmou que tudo não passava de pura mentira. Entretanto Sung, influenciado pelas más intenções de Tchan Kui, não deu ouvidos à Yue Fei, sentenciando todos à morte. A decisão do rei revoltou os soldados de Yue Fei, que lhe propuseram acabar com as tropas imperiais, mas o general ordenou que todos respeitassem a decisão de sua majestade e continuasse dando bons exemplos à população. Assim, Yue Fei e toda sua família foram mortos injustamente.

 


Os primeiros registros oficiais sobre o ensino do estilo Garra de Águia na China datam da Dinastia Qing (1664-1911).

Um Monge chamado Lai Chin, afirmou ser discípulo de Yue Fei. Relatos dizem que o monge ensinou outro, de nome Toa Gai, que por sua vez ensinou o Monge Far Shing. Como até aquele momento, o estilo Garra de Águia usava mais técnicas de garra, Far Shing decidiu acrescentar mais técnicas de pernas e saltos, deixando o estilo muito mais completo. Far Shing foi o primeiro monge a ensinar fora do Templo de Shaolin após a morte de Yue Fei. Sob o regime de outro império, Far Shing começou a ensinar o mestre Lau Si Zeon, um general do exército, natural de Heibei.


Lau Si Zeon foi um dos maiores divulgadores do estilo na China, passando seus conhecimentos do estilo para seus sobrinhos Lau Tat Fan (Pequim) e Lau Cing Jau (Hon Wen). Apenas Lau Cing Jau deu continuidade à divulgação do estilo, passando para seu terceiro filho, Lau Kai Man, que passou o sistema para seu sobrinho Chen Zizheng.
 

Como Lau Kai Man se tornou responsável pela escola matriz do estilo Garra de Águia em Pequim, mandou Chen Zizheng para o Sul da China, onde se tornou o primeiro divulgador do estilo na região.
 

Várias federações do Sul da China convidaram Chen Zizheng para dar aulas, mas a quantidade de pedidos era tanta que era praticamente impossível atender a todos sozinho. Desta forma, Chen Zizheng pediu ajuda para a matriz e para o mestre Lau Kai Man, que enviou seu sobrinho, Lau Fat Moun, para ajudá-lo.
 

Depois de algum tempo, Lau Fat Moun se mudou para Hong Kong. Ele fez tanto sucesso no local que chegou a ser reconhecido como o Rei da Águia de Hong Kong. Pouco depois, foi fundada a Associação Lau Fat Moun, que, entre seus discípulos, contava com Li Wing Kay. Em 1970, Li Wing Kay veio para o Brasil e pouco depois recebeu autorização da Associação Lau Fat Moun Eagle Claw Hong Kong para ser o representante oficial do estilo na América do Sul.
 

Nos anos 70 o seu discípulo Mestre Li Wing Kay vem para o Brasil onde trouxe o Garra de Águia, Wing Chun e Tai Chi Chuan para o pais latino ao longo deste tempo ficou conhecido como o Reis do Garra de Águia por formar vários professores e Campeãs de nível Mundial no Kung fu Tradicional e Olímpico. O Grão Mestre Li Wing Kay tem como discípulo direto o Mestre Serpio Silva onde representa a Familia Li Wing Kay com a Associação Kung fu Garra de Águia Gonçalense do Estado do Rio de Janeiro.  Onde começou a representação na década de 90. 

Mestre Serpio já formou vários professores de Kung fu nos estilos, Garra de Águia, Shuai Jiao, Taichichuan, Wing Chun e Sanda (Box Chinês). Formou vários campeões a nível Municipal, Estadual, Nacional e Internacional, Promoveram 15 campeonatos estaduais, 06 campeonatos Internacionais no Estado do Rio de Janeiro com a maior parte dos eventos realizados no Município de São Gonçalo. Com apoio da Liga Gonçalense de Desporto, Federação de Kung fu Garra de Águia do Estado do Rio de Janeiro, União Garra de Águia do Brasil. Confederação Brasileira de Wushu Kuoshu Chinês, Instituto Li Wing Kay do Brasil, Câmara Chinesa Cultural Família MA,

O Mestre Serpio aplicou aulas de kung fu funcional para combate corpo a corpo no Corpo de Fuzileiros Navais de 2005 a 2011. Na Ilhas das Flores CiaApdbq. 

Fonte de pesquisa: Instituto Li Wing Kay de arte e cultura


Árvore Genealógica do Estilo Garra de Águia

Fundador: Yue Fei

1ª geração: Monge Lai Chin

2ª geração: Monge Toa Gai

3ª geração: Monge Far Shing

4ª geração: Mestre Lau Si Zeon

5ª geração: Mestre Mestre Lau Cing Jau

6ª geração: Mestre Lau Kai Man, Mestre Chen Zizheng

7ª geração: Mestre Lau Fat Moun (Associação Lau Fat Moun Eagle Claw Hong Kong)

8ª geração: Grão Mestre Li Wing Kay (América do Sul/Brasil), entre outros mestres

Grão Mestre Li Wing Kay

Tai Chi Chuan

 

 O Tai Chi Chuan

é um sistema integral de saúde física, mental e também uma arte de defesa pessoal que trabalha sobre seu corpo e sua mente ao mesmo tempo. 
 

Os movimentos não somente relaxam os músculos, mas também acalmam os nervos. Todos os movimentos se realizam lenta e suavemente. A interação entre quietude e movimento é fundamental no Tai Chi, como na própria vida. 
 

TAI: Muito  | chi: Final ou Máximo | chuan: Punho ou Técnica e Luta

ESTILO KUNG FU TAI CHI CHUAN FAMILIA LI WING KAY, AMERICA  LATINA E MESTRE SERPIO SILVA ESTADO DO RIO DE JANEIRO
 

Beneficios do Tai Chi Chuan


 -Vitalidade,dando mais energia e disposição; 
 -Fortalecimento do sistema nervoso; 
 -Aumento de atenção e concentração mental; 
 -Equilíbrio de todos os sistemas orgânicos do corpo; 
 -Conquista de serenidade e equilíbrio das emoções; 
 -Auxilia na prevenção e redução do estresse; 
 -Aumento da flexibilidade,relaxamento muscular em todo o corpo; 
 -Fortalecimento do sistema imunológico ajudando na prevenção de doenças 

 

A expressão Tai Chi Chuan só foi registrada por escrito no fim do Séc. XIX, numa obra literária datada de 1919 escrita por Chen Pinsan, onde ele registra que o Tai Chi Chuan foi criado por um antepassado de sua família: Chen Wangting, um general do exército chines em 1618, que já idoso, recolheu-se junto com seus conhecimentos marciais e criou a arte do Tai Chi. Este seria o início da escola mais antiga do Tai Chi Chuan que se tem notícias: Escola CHEN. 

 

Existe uma lenda chinesa, envolvendo a figura de um sábio eremita que ao observar o confronto entre uma garça e uma serpente, compreendeu a supremacia da agilidade sobre a rigidez. Segundo relatos, este personagem teria vivido mais de 200 anos e é considerado pela tradição um santo taoísta, um iluminado que, após estudar exaustivamente os princípios do Tai Chi, passou a aplicá-los utilizando a unidade corpo-mente criando assim o Tai Chi Chuan. Essa lenda remonta aos anos de 1127 a 1279, e trata-se do eremita Zhang Sanfeng. 

 

Com efeito, foi só entre o fim do Séc. XIX, e o princípio do XX que certos lutadores passaram a anotar o que sabiam ou transcrever as palavras do mestre. Na maior parte das vezes, porém, a arte se transmitia de pai para filho, no seio da mesma família. Constituiu exceção a essa regra Yang Luchan (criador da escola Yang), acolhido pela família Chen, onde recebeu o ensino do Tai Chi Chuan, tendo em seguida difundido em Pequim. No Brasil existem diversos representantes do estilo. 

 Como respirar: Durante a concentração, a respiração deve ser suave, profunda e regular. Depois de um tempo, pode esquecer-se de sua respiração. Prestar atenção na respiração só distrairá sua mente, que deve estar dirigida para a atração de energia para os pontos desejados. Há milhares de métodos esotéricos de respiração: você pode passar sua vida inteira aprendendo-os, sem receber qualquer energia duradora. 

Mas, uma vez que a energia Chi estiver desperta e você tiver completado a rota poderá experimentar os mais diferentes padrões de respiração: a respiração rapida, a respiração superficial, a respiração profunda, a retenção prolongada de ar, a respiração pelo cordão espinhal, a respiração interna, a respiração no algo da cabeça, a respiração na planta dos pés etc. Não precisa tentar regularizar sua respiração segundo os padrões, por isso ocorrerá naturalmente, de acordo com as necessidades do corpo. 

 Respire silenciosamente pelo nariz. Permita que o respirar sela calmo e suave. Qualquer som na passagem da respiração distrairá sua concentração, e se sua respiração for agitada você obterá sucesso em alcançar um completo estado de calma. Mas tome cuidado, se você interferir na respiração, reprimirá o fluxo de energia. 

 

No começo se tiver dificuldades para se concentrar, conte de um até dez e de dez até um, cinco vezes. Você pode respirar trinta e seis vezes, longa, devagar e profundamente no sentindo do abdomem: Isto fará com que a energia retida em seu, peito, ombros, braços, cabeça comece a descer e o ajude a conseguir a calma interior. Quando tiver conseguindo energia e concentração, poderá imaginar a energia entrando por todos os poros do inalar, e saindo por todos os poros do exalar. Desse modo, terá a sensação de que a superfície inteira do seu corpo esta respirando.

ATITUDE MENTAL: NÃO tente meditar quando estiver cansado. Se, mesmo fatigado, você quiser praticar , primeiro dê um passeio , tome um banho calmante, cochile um pouco ou tome uma bebida quente. Comece a praticar quando se sentir melhor. 

 Mantenha a mente bem calma e uma atitude de bondade. Sinta-se alegre e permaneça aberto para a sua vida. Não se deixe consumir pela ambição ou pelas preocupações. Sua grande tarefa é elevar sua consciência e sua capacidade de amar. Não se preocupe com o amanhã. O amanhã tomará conta de si mesmo. O estado de felicidade e calma são sinais de progresso espiritual. 

 

Não lute. Não tente tirar a força os pensamentos irrequietos da sua cabeça. Simplesmente, compreenda sues pensamentos, observando com eles desaparecem. Imagine-os como nuvens dispersas pelo vento. Quando eles se forem, o Sol brilhará mais intensamente. Destaque-se se si mesmo, sendo um espectador do processo de pensar, não um participante. Gradualmente aprenderá a se concentrar e direcionar a energia de cura pelo Tao.

POSIÇÃO DE LINGUA: A língua é a ponte entre dois canais, o funcional e o regencial. Eles estão separados pelo lingua. Há três posições para a língua. No começo, deixe a língua onde for mais confortável. Se for desconfortável colocar a lingua no palato, coloque-a perto dos dentes. A posição correta é a denominada ” Combinação Sagrada”. 

 

A) Primeira Posição: A posição perto dos dentes produzirá as (vento) e o tornará sonolento mais facilmente – Pulmão. 

B) Segunda Posição: A parte superior do palato, antes do palato suave, é a posição do Fogo. Se tocada por muito tempo, tomará a boca e a língua secas – Coração . 

C) Terceira Posição: Esta é a posição de Combinação Sagrada, a qual se situa a uma polegada e meia da parte frontal dos dentes, estimulando as glândulas salivares que ficam sob a língua – Rim.
 

Shuai Jiao

 

História do Shuai Chiao


As origens do Shuai-Chiao são tão antigos quanto os da civilização chinesa em si. Desde tempos imemoriais, o homem lutou, e luta contra seu instinto mais básico tem sido sempre a lutar. Isto é evidenciado pela arte antiga de culturas ao redor do mundo, retratando de combate por algum tipo de luta. 
 

O termo Shuai Jiao significa: Shuai = derrubar e Jiao = chifres, ou seja, chifres que derrubam. A palavra “chifres” remonta a forma mais antiga de Shuai Jiao registrada: o “Jiao Ti” , que se tratava de um combate sangrento, corpo-a-corpo, onde os lutadores utilizavam capacetes com chifres. Outro termo popular (na China) utilizado para se referir ao Shuai Jiao é “Kuai Jiao” que significa “derrubada rápida”. Um velho dizer popular chinês diz: “Ataques com os punhos são superiores às técnicas de deslocamento; ataques de pés aos ataques de punhos, e técnicas de derrubar superiores aos ataques de pés”. 
 

Os combates são normalmente vencidos por quem arremessou o adversário ao solo do que por “Knock Out”. Vários mestres são unânimes em dizer que boas técnicas de derrubar (Shuai) representam 40% de um bom lutador, completado por 30%, respectivamente, de técnicas de chutes e socos. O estudo de Shuai Jiao pode com certeza contribuir numa maior compreensão de qualquer estilo praticado, assim como também contribuir muito para os que se interessam pela pratica desportiva de Sanshou ou Sanda. 
 

Os relatos históricos nos contam que por volta do ano 2.700 a.c. duas tribos rivais se instalaram ao longo do Rio Amarelo. Uma das tribos era liderada pelo famoso Huan Ti, e a outra por Zhi You, cujos guerreiros utilizavam um capacete com dois chifres. Estes capacetes eram utilizados nas batalhas para ferir os inimigos. Huan Ti ensinou seus guerreiros a evitarem estes ataques perigosos e a desequilibrarem seus adversários. Assim, graças a esta técnica, Huan Ti venceu Zhi You e unificou o país; nascia então a China.


Desde então, nas festas chinesas, costuma-se imitar os combates dos guerreiros. Alguns utilizam capacetes e fingem ferir seus adversários com os chifres, os outros, por sua vez, evitam os ataques tirando o equilíbrio do atacante. Esta dança tradicional era chamada Jiao Dixi. Nestas festas aconteceram as primeiras demonstrações da arte marcial “mãos vazias” na China. Na dinastia Zhou (aprox. 1.122 a.c.), as técnicas já eram utilizadas para os exercícios militares. Na dinastia Qin (aprox. 221 a.c.), estas práticas se tornaram um espetáculo e uma forma de entretenimento muito apreciado pela aristocracia. Desde esta dinastia, as competições se desenvolveram muito rapidamente. 
Fonte de pesquisa: Instituto Li Wing Kay de arte e cultura.


 

As regras eram muito fáceis, pois quase tudo era permitido. Embora a eficácia das técnicas com agarramento fossem claras, os lutadores não deixariam de lado a luta solta, treinando por vezes a luta com agarramento e em outras ocasiões a luta solta. Este tipo de prática é provavelmente a origem da separação em duas direções: a luta de agarramento e o pugilismo (Shuai/Chuan). As técnicas de agarramento sempre foram consideradas importantes, e por essa razão, os mestres de estilos tradicionais de Kung Fu estudaram profundamente estes tipos de técnicas e selecionaram as mais eficazes para serem inseridas em suas rotinas, e desta forma serem perpetuadas para as gerações futuras. Na dinastia Song (960-1278), um livro entitulado “Jiaoloi Ji”, apresentava uma parte dos estudos feitos por vários mestres juntamente com a história da arte marcial chinesa. Na dinastia Ming (1368-1644) e na dinastia Qing (1644-1911), os mestres continuaram a aperfeiçoar as técnicas. Na dinastia Qing, 300 mestres foram convidados pela corte imperial para formar uma equipe de lutadores. Este time foi chamado “Shang Pu Ying”. 
Os mestres lutavam entre si e enfrentavam outras equipes, incluindo os famosos lutadores da Mongólia. Nesta época a corte Qing proibiu ataques de pés e mãos em competições de Shuai Jiao. Contudo os mestres continuaram a treinar utilizando chutes e socos. O Shuai Jiao tornou-se um estilo muito rico, com uma estratégia muito elaborada, e os últimos estudos foram feitos após o término da dinastia Qing. Shuai Jiao é o resultado de um trabalho árduo e detalhado que se perpetuou através de vários milênios. 

 

SHUAI JIAO NA ATUALIDADE

Sendo tão antigo, o Shuai Jiao é considerado o predecessor da maioria dos estilos de luta da atualidade. Os monges de Shao Lin através de seu estudo de Shuai Jiao incorporaram grande parte de suas técnicas em suas formas (rotinas) e desenvolveram um sistema de 18 projeções chamado Tsan I. O Shuai Jiao foi levado a vários outros países durante a Dinastia Ming (1368 DC -1644 DC), e no Japão veio a influenciar os antigos estilos de Jiu-Jitsu dos quais evoluiu o Judo de Jigoro Kano. Na verdade isto está registrado em documentos Japoneses: em Collection of Ancestor’s Conversations, Volume 2, Biografia de Chen, Yuan-Yun, encontramos que Chen, Yuan-Yun (1587-1671 DC, Dinastia Ming) foi a pessoa que levou as “técnicas suaves” para o Japão em 1659. Em outros registros históricos o encontramos como Cheng, Yuan Ping (O homem da montanha de Chi Pai), onde até os dias de hoje, na base da montanha no Japão existe um monumento erguido em sua memória. Contam as tradições verbais que Cheng era um perito em Shuai Jiao e em Qin Na, que devido a perseguição política teve que fugir da China. 

 

ESTILOS DE SHUAIJIAO

Existem vários estilos de Shuai Jiao, mas os mais desenvolvidos são o Mongolian, o Tientsin, o Peking e o BaoDin (Pao Ting). O estilo Tientsin usa muito o braço solto para testar o adversário e para sentir quando há uma chance de aplicar uma técnica. Os movimentos do estilo Peking são menores, enfatizando o contato e mantendo as mãos do adversário a uma distância. O uniforme no estilo Peking é bem justo o que torna mais difícil agarrá-lo. O estilo BaoDin é o mais famoso, e é distinguido por seus movimentos mais largos e por sua velocidade e força ao desenvolver suas técnicas. 
 

Em vez de testar o adversário no estilo BaoDin, tenta-se usar uma técnica eficaz. O estilo BaoDin é também conhecido como Kuai Chico (luta rápida) ou Shuai Kuai (derruba rápido). 
 

Árvore Genealógica do Shuai Chiao (Shuai Jiao)

Por se tratar de uma arte marcial muito antiga, é impossível saber quem foi o fundador do Shuai Chiao (Shuai Jiao). O Grão Mestre Li Wing Kay faz parte da linhagem do Grão Mestre Tong Zong Yi, que passou seu conhecimento para o Grão Mestre Liu Fei. Contudo, o Grão Mestre Li Wing Kay também aperfeiçoou suas técnicas de Shuai Chiao (Shuai Jiao) com o Grão Mestre “Daniel” Weng, discípulo do Grão Mestre Chang Tung Sheng.
Shuai Chiao 

 

O shuai chiao oferece o perfeito equilíbrio entre técnicas poderosas e uma rica filosofia de respeito e força interna centrada nas tradições. 
 

Os mestres combinam esta técnica e tradição com a moderna defesa pessoal e combate, para realizar um incomparável programa de treinos. 
 

É este, preciso equilíbrio juntamente com a nossa dedicada equipe de instrutores que criam uma atmosfera de motivação e torna os treinos na academia, mais simplea,rápido e práticos. Todos,sem exceção, podem praticar essa técnica pelo modo que é ela apresentada, de fácil assimilação. 

Alguns benefícios!

 1° controle do peso corporal 
 2° Melhor mobilidade articular 
 3° Melhor resistêcia física 
 4° Aumento da densidade óssea 
 5° Melhor força muscular 
 6° Diminuição da pressão arterial 
 7° Melhor flexibilidade 
 8° Aumento da auto-estima 
 9° Aumento da autoconfiança 
 10° Diminuição de processos depressivos 
 11° Alivia o stress 
 12° Aumenta o bem-estar 

Shuai Chiao – Regras

 

Seguirá as regras internacionais. 
Ringue 9 por 9 e 2 árbitros laterais e 3 na mesa. 
2 rounds de luta e 5 pontos de diferencia ganha o round. 
Ganho de 1 ponto: Passa a perna por trás ou coloca a mão no chão. 
Ganho de 2 pontos: Joga o adversário por cima. 
Ganho de 3 pontos: Pega e levanta o adversário e joga no chão. 
*Obs: Se cair juntos e por cima vale 1 ponto. Se sair fo do ringue vale 1 ponto. 
 

Se ajoelhar no chão e jogar o adversário por cima, ganha 2 pontos mas perde 1 ponto. 

Sanda

 

É a parte integrante das competições de Wushu (kungfu) e tornou-se importante a partir do campeonato mundial de 1991. Neste mesmo ano foi criada uma liga profissional de Sanshou, ano em que foram criadas as primeiras regras internacionais de Wushu. ”Sanshou” é também chamado de Sanda em cantonês que traduzindo significa ”mãos livres”, e se refere ao combate livre. Força, garra, luta de contato, são lemas das atividades dessa luta, que teve rápido crescimento e atinge grandes popularidades em todo o mundo.

 

ORIGEM: Historicamente, a modalidade conheceu sua origema a centenas de anos quando lutas corporais agitavam a China, tanto com as mãos livres quanto com as armas, os desafios eram realizados sem regras e, na maioria das vezes, resultavam em morte ou ferimentos graves aos lutadores. 

REGRAS: as regras do boxe chinês são aquelas que mais se aproximam de uma situação de combate real, permitindo um contato amplo entre os oponentes com chutes, socos, cotoveladas, joelhadas, quedas e arremessos. Em um torneio o lutador pode vencer tanto por nocaute como por pontos, 2 rounds de 2 minutos cada, seguido de um terceiro round em caso de empate. 

PROTETORES: Capacete, calça ou shorts, coquilha, protetor de tórax, protetor de canela, protetor bucal. Obs: Os profissionais não utilizam capacete e nem protetor de tórax, lutador não pode usar golpes de quebramentos, torções e golpes em pontos vitais. 

BENEFÍCIOS: Apesar de ser um esporte de contato, tem vários benefícios. Raciocínio rápido, perda de peso, desenvolvimento físico e mental, perda do medo, desenvolvimento da agilidade e força, retirada de vícios, saúde e condicionamento físico com resistência corporal, relaxamento mental. 
 

Muay Thai

 

Esta disciplina física e mental,

que inclui golpes de combate em pé é conhecida como "a arte das oito armas", pois caracteriza-se pelo uso combinado de punhos, cotovelos, joelhos, canelas e pés, estando associada a uma boa preparação física que a torna uma luta de contato total bastante eficiente.

FAÇA UMA AULA EXPERIMENTAL

Rua Antonio Bessa, 14

São Gonçalo  - Porto Velho - RJ

Tel: (021) 98163-6396

Nossa localização
Siga-nos
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

Selo:  Academia Federada

© 2020 - Associação Kung-Fu Koushu Garra de águia do Estado do RJ